segunda-feira, 12 de outubro de 2009

"I knew it, i knew it! 'Cause you are my cricket and nothing can happen to you"


Eu começo esse post explicando um pouco do título, pra que vocês entendam o conteúdo e o que diabos tem a ver o "c* com as calças". Pra quem não sabe, eu sou fã [alucinada!] de Grey's Anatomy e, (re)assistindo a um episódio da 5ª temporada, me lembrei de uma cena que a mãe da Izzie [uma mãe não dotada de muita inteligência - o que incomoda um pouco a Izzie- mas muito cheia de amor maternal e preocupação] vai visitá-la enquanto ela estava com câncer e disse à Izzie essa frase. Tocante, não!? Eu chorei, confesso...
Bem, relacionamentos entre pais e filhos nunca são perfeito, não é verdade?! Pais sempre reclamam em algum ponto dos filhos, e vice versa. Os relacionamentos, em especial, entre mães e filhas, xiii, sai de baixo...As filhas sempre reclamam que as mãe amam mais o irmão, e as mães sempre falam que as filhas amam mais o pai.
O fato é que o relacionamento entre mães e filhas é de "amor" e "ódio"...sempre! Quando se está fragilizada, não há nada mais gostoso que um colinho de mãe pra acalentar as lágrimas que teimam em cair, seja por um dia ruim, por um amor perdido, por uma causa perdida...E quando as duas estão na TPM? É um "deus nos acuda": a cada simples palavras trocadas num tonzinho diferente do normal, pronto! Uma faísca solta dai começa a queimada! É uma briga, uma discussão, uma ladainha...Todo aquele processo!
As mães têm uma coisa com elas [acho que vem no manual "como ser mãe em 12 mil passos"] na verdade, duas: a primeira, é que todas as mães dizem que sempre serão nossas melhores amigas, e a segunda é que elas sempre dizem que serão melhores mães que as mães delas foram. Dois pontos bem contestáveis.
As mães têm uma "mania" de querer ocupar o posto de "mãe" e "amiga", ao mesmo tempo mas, pense comigo: sua mãe é sua mãe, ela não pode(?) ocupar também o posto de sua melhor amiga. Mas por que, Carlinha?! O fato é que as mães são seres que nos amam tanto, e que nos protegem tanto [instinto maternal] que elas não conseguem ter poder abstração suficiente que, por exemplo, não as façam sofrer quando nos vêem sofrer, afetando por consequencia direta, os conselhos que, porventura, elas venha a te dar.
Ou então, vamos combinar: por mais aberta que seja seu relacionamento com sua mãe, que vocês conversem de tudo, ela não é muito interessada em o que você faz com seu namorado quando vai pra casa dele, ou então, a frequencia que você faz sexo, ou melhor, os detalhes da última noite sórdida, caliente. As mães gostam de acreditar que as filhas não fazem sexo com frequencia e que, aquele carinha que te visita há algumas noites [até que você o apresente ou ela veja vocês dois se beijando] é só um amigo. Não se enganem: as mães não são bobas...elas também já foram filhas, minhas caras [meus caros também, claro! Não esqueci de vocês...de novo...rs].
Ah, ia esquecendo do segundo ponto: as mães sempre querem ser melhores que as mães delas eram; isso na verdade é meio que um círculo vicioso. Porquê? Simples: lembram da relação de amor e ódio? No ponto dos "ódios", das "farpas", as filhas [claro, as que possuem algum instinto (vontade) maternal] elas sempre vão querer melhorar em relação a isso com seus filhos, mas uma surpresa as aguarda, minhas caras [meus caros também, claro! Não esqueci de vocês...rs]: um negócio que se chama "genética" fazem de você mais parecida com a sua mãe do que supunha e, mesmo que você se controle, se policie, amarre as mães [era um erro de digitação, mas entenderam a sutileza da piada? "mães"? "mãos"? Entendeu? Não? Droga =/] , em algum momento a você vai parecer com ela...
É divertido...Claro, eu mesma já chorei bastante por causa da minha mãe, por coisas que ela fala sem pensar e, nossa! Como minha mãe tem uma dificuldade de pedir desculpas...tsc tsc...Enfim, lidar com as "mães nossas de cada dia", não é fácil...Imagino [claro! Só imagino!] que ser mãe também não seja, na verdade, é uma descoberta todos os dias...

6 comentários:

Edu e Mau disse...

Puxa, você escreve tão gostoso... :-) E tem razão: tem horas em que os filhos se tornam os pais e é aí que a gente entende tanta coisa... :-)

Beijo!

Edson Nunes disse...

Apesar de tudo, a figura da mãe é a melhor e mais sagrada coisa do mundo, sem sombra de dúvida!

Achei bem profundo este post, parabéns!

Yo_O disse...

eu tambem, curto essa minisserie valeu a visita linda!!

Atreyu disse...

Mãe é bom, mas eu queria que a minha tivesse controle remoto. FATO
A última foi não deixar eu viajar pra Bahia pra ver o Show do Rappa e da Pitty no Detonna! ¬¬³
:: eu disse q ia não pedi permissão ::
hsuhshuhushsuhasusauhsauhasuhsauhauhsa
=*
Mas AMOO muito minha mãe!! @@

Rebeca disse...

Eu amo Grey's tambem :D
Pena que vai acabar...
Amei o texto, ficou muito fofo :)

beijinhos!

Luan disse...

grey's anatomy me afoga em lagrimas mas salva meu dia sempre.

post excelente.

por onde anda voce?

bjao.